Comentários

Nenhum comentário
Seja o primeiro a enviar um comentário

Museu Histórico Aurélio Dolabella

Raro e excelente exemplar de arquitetura civil em Minas Gerais. Estilisticamente pertence ao século 18 com todas as características das casas nobres do Setecentos, embora seja construção de um único pavimento e não um sobrado…A fachada é de bonita e elegante proporção, com trabalhos de excelente carpintaria” (Guia dos Bens Tombados de Minas Gerais).

O primeiro proprietário foi o padre Manoel Pires de Miranda em 1818; em 1858, passou a pertencer à Baronesa de Santa Luzia e, no ano de 1893, foi vendida a Manuel Teixeira da Costa.

Durante a Revolução Liberal de 1842, a casa serviu como quartel-general do revolucionário Teófilo Ottoni. Nos últimos combates contra as tropas imperiais comandadas por Caxias, a casa ficou em meio à luta. Ainda hoje existem marcas das balas em suas janelas.

Hoje a casa abriga o Museu Histórico Aurélio Dolabella, que abriga em seu acervo peças do cotidiano luziense dos séculos 18, 19 e 20, peças sacras e um valioso acervo de partituras de músicas sacras coloniais. Aurélio Dolabella foi o primeiro museólogo da cidade e doou as primeiras peças para a formação inicial do acervo.

A casa também é conhecida como quartel-general dos Revolucionários de 1842 e  Solar Teixeira da Costa.